Edição 224 - Uso Terapêutico da Toxina Botulínica Tipo A em Pacientes com Paralisia Cerebral

Freitas, M. F.

Finotti, L. F. T.

 

Resumo

A toxina botulínica é uma proteína produzida pela bactéria Clostridium botulinum, a qual possui sete sorotipos distintos. O sorotipo mais eficiente que é utilizado para tratamentos terapêuticos é o sorotipo A. O uso dessa toxina tem proporcionado uma nova alternativa de reabilitação de pacientes portadores da paralisia cerebral espástica, que são lesões nos membros superiores e inferiores, pois atua bloqueando o tônus muscular, promovendo assim relaxamento muscular. O objetivo deste estudo foi apresentar fatos da literatura que demonstrem a eficácia da toxina tipo A na diminuição da espasticidade em pacientes com paralisia cerebral. Conclui-se com este estudo que a toxina botulínica tipo A diminui a espasticidade dos membros, possibilitando maiores resultados com as fisioterapias e terapias ocupacionais no tratamento da reabilitação dos pacientes portadores de paralisia cerebral.

Palavras-Chave: Clostridium botulinum, Toxina Botulínica, Paralisia Cerebral Espástica.

 

Summary

Botulinum toxin is a protein produced by the bacterium Clostridium botulinum, which has seven distinct serotypes. The most efficient serotype that is used for therapeutic treatments is serotype A. The use of this toxin has provided a new alternative for rehabilitation of patients with spastic cerebral palsy, which are lesions in the upper and lower limbs, as it acts by blocking muscle tone promoting like muscle relaxation. The aim of this study was to present facts in the literature demonstrating the efficacy of toxin type A in the reduction of spasticity in patients with cerebral palsy. We conclude from this study that botulinum toxin type A reduces spasticity members enabling greater results with physical therapy and occupational therapy in the treatment of rehabilitation of patients with cerebral palsy.

Key Words: Clostridium botulinum, Botulinum Toxin, Spastic Cerebral Palsy.

 

Endereço para correspondência

Profa. MSc Laura Fontes Tomaz Finotti

e-mail: lauraft.finotti@gmail.com

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)