Edição 214 - A Expressão das Principais Moléculas Relacionadas ao Estresse Oxidativo em Pacientes Portadores de Lúpus Eritematoso Sistêmico

Campos, N. S.

Siqueira, C. S.

 

Resumo

O estresse oxidativo tem um papel importante na patogênese da doença de LES (Lúpus Eritematoso Sistêmico). O presente artigo realiza uma abordagem sobre o LES e procura reconhecer a expressão das principais moléculas relacionadas ao estresse oxidativo em portadores desta doença: os radicais livres e outras espécies reativas de oxigênio. Realiza, ainda, uma breve abordagem sobre a defesa antioxidante do organismo. Conclui que o desequilíbrio entre as concentrações de espécies pró e antioxidantes pode induzir risco a macromoléculas celulares, incluindo o DNA, mas que os estudos até então realizados ainda não conseguem identificar se o estresse oxidativo influencia na patogenia do lúpus ou se é consequência da doença, sendo necessários estudos mais conclusivos.

Palavras-Chave: Lúpus Eritematoso Sistêmico, Estresse Oxidativo, Radicais Livres, Espécies Reativas de Oxigênio.

 

Summary

Oxidative stress plays an important role in the pathogenesis of SLE (Systemic Lupus Erythematosus). This article provides an approach on the LES and seeks to recognize the expression of key molecules related to oxidative stress in patients with this disease: free radicals and other reactive oxygen species. It also carries a brief overview on the body’s antioxidant defense. Concludes that the imbalance between the concentrations of pro-and antioxidant species can induce risk to cellular macromolecules, including DNA, but that the studies conducted so far not able to identify the oxidative stress influences in the pathogenesis of lupus or is a consequence of the disease, more conclusive studies are needed.

Key Words: Systemic Lupus Erythematosus, Oxidative Stress, Free Radicals, Reactive Oxygen Species.

 

Endereço para correspondência

Naiara Silva Campos

Profa. Carla Silva Siqueira

e-mail: naiarasilvacampos@hotmail.com

e-mail: carlassiqueira@gmail.com

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)