Edição 194- Frequência e Suscetibilidade de Bactérias Isoladas de Urinoculturas no Laboratório de um Hospital da Cidade de Fortaleza-Ceará

 

 

Rocha, A. A.

Cunha, F. A.

Cunha, M. da C. dos S. O.

Menezes, E. A.

 

Resumo

O início do uso de antimicrobianos sem a coleta de material biológico para a cultura é prática comumente realizada, tanto nos ambulatórios/consultórios como nos hospitais, favorecendo o surgimento de bactérias resistentes. Sendo assim, é de fundamental importância a urocultura em pacientes com Infecção do Trato Urinário (ITU). O objetivo deste estudo foi identificar a prevalência de microrganismos comuns em infecções urinárias e avaliar o perfil de suscetibilidade antimicrobiana de pacientes atendidos em um hospital da cidade de Fortaleza do Estado do Ceará. Por meio de uma análise retrospectiva de dados coletados no laboratório, foram obtidos 124 resultados de uroculturas, sendo que destas 16 (13%) foram positivas e todos eram adultos acima de 18 anos. Houve um predomínio desta infecção no sexo feminino 15 (94%). Entre as bactérias, a Escherichia coli foi a predominante causadora de infecção do trato urinário, estando presente em 14 (88%) dos pacientes, sendo considerada a principal causa de infecção comunitária. A Klebsiella pneumoniaea e Klebsiella ssp estiveram presentes, cada uma, em 1 (6%) dos pacientes. Quanto ao perfil de suscetibilidade antimicrobiana, foram utilizados os antimicrobianos: ciprofloxacina e ampicilina. As bactérias Gram-negativas identificadas apresentaram excelente sensibilidade a ciprofloxacina 100% e a menor sensibilidade foi apresentada frente a ampicilina, 32,4%. A abordagem do perfil de prevalência e suscetibilidade dos antimicrobianos ressalta a importância do conhecimento das UTIs e serve como um indicador para se propor estratégias de racionalização terapêutica.

Palavras-Chave: Urinocultura, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniaea, Suscetibilidade aos Antimicrobianos.

 

Summary

The first use of antimicrobials without the collection of biological material for culture is commonly performed practice, both in clinics/offices and hospitals, thus favoring the emergence of resistant bacteria. Therefore it is of fundamental importance to urine culture in patients with urinary tract infection (UTI). The objective of this study was to identify the prevalence of common microorganisms in urinary infections and assess the antimicrobial susceptibility of patients treated at a hospital in the city of Fortaleza in Ceará. Through a retrospective analysis of data collected in laboratory results were obtained from 124 urine cultures, and of these 16 (13%) were positive and all were adults over 18 years. There was a predominance of this infection in females 15 (94%). Among the bacteria Escherichia coli was the predominant cause of urinary tract infection is present in 14 (88%) patients and is therefore considered the leading cause of community infection. Klebsiella pneumoniaea and Klebsiella spp were present, each in 1 (6%) patients. Regarding the antimicrobial susceptibility, antimicrobial agents were used: ciprofloxacin and ampicillin. Gram negative bacteria identified showed excellent sensitivity to ciprofloxacin 100% and the lowest sensitivity was shown against ampicillin, 32.4%. The approach profile and prevalence of antimicrobial susceptibility underscores the importance of knowledge of ICUs and serves as an indicator to suggest strategies for streamlining therapy.

Key Words: Urine Culture, Escherichia coli, Klebsiella pneumoniaea, Antimicrobial Susceptibility.

 

Endereço para correspondência:

Prof. Everardo Albuquerque Menezes

e-mail: menezes@ufc.br

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)