Edição 229 - Interferência da detecção da hemoglobina glicada (HbA1C) utilizando o método da cromatografia líquida de alta eficiência de troca iônica (HPLC) pela variante da hemoglobina clinicamente silenciosa no centro médico da universidade de malaya (UMMC)

Thevarajah M1.

Nadzimah M. N1

Chew Y.Y2.

 

RESUMO

CONTEXTO: A hemoglobina glicada, também denominada HbA1c, é utilizada como um índice dos níveis médios de glicemia em pacientes diabéticos dos últimos 2 a 3 meses. Vários métodos de teste são utilizados para dosar a HbA1c, e muitos fatores podem interferir na sua dosagem, conforme o método de teste utilizado, causando resultados falso-negativos altos ou baixos.

OBJETIVO: Relatar o caso de uma paciente diabética com uma variante da hemoglobina silenciosa clinicamente, que causa uma concentração de HbA1c indetectável, utilizando-se o método da cromatografia líquida de alta eficiência de troca iônica (HPLC).

RESUMO DO CASO: Nossa paciente é uma mulher de 65 anos com diabetes mellitus tipo 2, que está seguindo controle nutricional, com hipertensão e hipercolesterolemia. Suas concentrações de glicose no sangue em jejum variaram entre 6,2 e 7,8 mmol/L. As concentrações de HbA1c da paciente foram dosadas com o método imunoturbidimétrico (Cobas Integra, Roche Diagnostics), que variaram entre 6,11 e 7,23%, mas não foram detectadas quando dosadas com a HPLC de troca iônica [Arkray HA8160, Modo de Diabetes (também conhecido como Menarini HA8160)]. A análise da hemoglobina identificou a presença de uma variante da hemoglobina: a Hemoglobina D Punjab.

CONCLUSÕES: Os laboratórios clínicos devem conhecer as limitações do método de teste utilizado da HbA1c, como a possível interferência com a variante da hemoglobina, conforme descrito em nosso caso. Devem ser considerados métodos alternativos para monitorar o controle glicêmico nesses pacientes. © Sociedade Canadense de Bioquímicos. Publicado por Elsevier Inc. Todos os direitos reservados.

Palavras-Chave: HbA1c, Variantes da hemoglobina, HPLC de troca iônica


SUMMARY

BACKGROUND: Glycated hemoglobin, measured as HbA1c is used as an index of mean glycemia in diabetic patients over the preceding 2–3 months. Various assay methods are used to measure HbA1c and many factors may interfere with its measurement according to assay method used, causing falsely high or low results.

OBJECTIVE: To report a case of diabetic patient with clinically silent hemoglobina variant, causing undetectable HbA1c concentration using ionexchange high performance liquid chromatography (HPLC) method.

CASE SUMMARY: Our patient is a 65-yearold female with type 2 diabetes mellitus on diet control, hypertension and hypercholesterolemia. Her fasting blood glucose concentrations ranged from 6.2 to 7.8 mmol/L. Her HbA1c concentrations measured with immunoturbidimetry method (Cobas Integra, Roche Diagnostics) ranged from 6.11 to 7.23%, but were undetectable when measured with ion-exchange HPLC [Arkray HA8160, Diabetes Mode (also known as Menarini HA8160)]. Hemoglobin analysis identified the presence of a hemoglobina variant - Hemoglobin D Punjab.

CONCLUSIONS: Clinical laboratories should be aware of limitations of the HbA1c assay method used, such as potential interference with hemoglobina variant as depicted by our case. Alternative methods for monitoring glycemic control in these patients should be considered. © 2008 The Canadian Society of Clinical Chemists. Published by Elsevier Inc. All rights reserved.


Key Words: 
HbA1c, Hemoglobin variants, Ion-exchange HPLC

Contato:

M. Thevarajah

tmalathi@um.edu.my