Edição 223 - Perspectivas do Uso de Terapia Celular na Esclerose Lateral Amiotrófica

Nakagawa, L. M.

Capuano, V.

Paula, D. R. M.

Santos, F. A. A.

 

Resumo

A esclerose lateral amiotrófica (ELA) é uma doença neurodegenerativa caracterizada por uma perda seletiva de neurônios motores na medula espinhal, tronco encefálico e córtex motor que leva à paralisia progressiva associada ao óbito em média de dois e cinco anos. O prognóstico é reservado e limitado quanto às opções de tratamento, o que induz a exploração de novas terapias alternativas, pois a ELA não possui cura. O presente artigo realiza uma abordagem sobre o uso de terapia celular por meio de uma revisão da literatura onde se buscou descrever os avanços da utilização de células-tronco no tratamento da esclerose lateral amiotrófica. Devido ao alto poder de diferenciação celular, as células-tronco são uma esperança de tratamento, visto que elas são capazes de autorrenovar e diferenciar em vários tipos celulares. Substituindo os neurônios acometidos pela doença, impedindo ou retardando a degeneração neuronal e apresentando uma funcionalidade ativa, conclui que a terapia celular guarda grande potencial terapêutico, porém novos ensaios clínicos devem ser elaborados para elucidar dúvidas remanescentes.

Palavras-Chave: Esclerose Lateral Amiotrófica, Terapia Celular, Células-Tronco.

 

Summary

Amyotrophic lateral sclerosis (ALS) is a neurodegenerative disease characterized by the selective loss of motor neurons in the spinal cord, brainstem and motor cortex leading to progressive paralysis associated to death on average, two to five years. Given the limited treatment, options and prognosis booked an exploration of new alternative therapies, because ALS has no cure. This paper presents an approach on the use of cell therapy through a literature review that sought to describe the advances with stem cells to treat amyotrophic lateral sclerosis. Due to the high power cellular differentiation, stem cells are a hope of treatment, since they are able to self-renew and differentiate into various cell types. Replacing the neurons affected by the disease, prevent or delay the neuronal degeneration and presenting an active functionality concludes that cell therapy guard great therapeutic potential, but more clinical trials should be designed to clarify remaining questions.

Key Word: Amyotrophic Lateral Sclerosis, Cell Therapy, Stem Cells.

 

Endereço para correspondência

Fabiana de Almeida Araújo Santos

e-mail: fabiana.aasantos@gmail.com 

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)