Edição 216 - Identificação Simples e Rápida de Enterobactérias Utilizando o Bom e Velho Rugai (Rugai & Araújo Modificado)

Cotrim, A. P.

Miranda, M. de F.

Didio, G. V. 

Oplustil, C. P.

 

 

Resumo

As enterobactérias estão entre as bactérias Gram-negativas mais frequentemente encontradas como microbiota normal do homem. Este grupo de bactérias tem como característica principal fermentar os carboidratos, mas diversas outras provas bioquímicas são utilizadas para diferenciar as espécies que compõe esta família. O IAL ou Rugai modificado que conhecemos hoje possui nove provas bioquímicas direcionadas para a identificação apenas de enterobactérias e que são visualizadas e interpretadas em um único tubo. O Rugai tem sim lugar na rotina de laboratórios pequenos e médios que realizam uma rotina manual e trabalham principalmente com pacientes ambulatoriais. Ainda existem laboratórios no Brasil que não têm automação pelo volume de exames que realizam. Para esses laboratórios, o Rugai tem um excelente custo-benefício.

Palavras-Chave: Enterobactérias, Rugai Modificado, Identificação.

 

Summary

Enterobacteriaceae are gram-negative organism more frequently found in the normal flora of humans.  This group of bacteria has as a principal characteristic the fermentation of carbohydrates, and several other biochemical reactions can be used to differentiate the species in the family. The IAL or modified Rugai that we know today has nine different biochemical reactions directed to identify only enterobacteria and can be visualized and interpreted in one tube. The Rugai has a place in the routine of small and medium laboratories that realize a manual routine and work primarily with outpatients. There still are laboratories in Brazil that don´t have automation because of the volume of exams they process. For these labs Rugai is an excellent cost effective option.

Key Words: Enterobacteriaceae, Modified Rugais, Identificacion.

 

Endereço para correspondência

Dra. Ana Paula Cotrim

e-mail: ana.cotrim@ceconsp.com.br

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)