Edição 205 - Estudo da Frequência de Giardia lamblia em Crianças do Sul da Bahia

Santos, E. N.

Santos, T. N. dos

Silva, J. A. da

Silva, M. F. da

Carvalho, S. M. S.

Mariano, A. P. M.

 

Resumo

Essa pesquisa objetivou estudar a frequência de Giardia lamblia em crianças do Sul da Bahia, atendidas pelo Laboratório de Parasitologia da Universidade Estadual de Santa Cruz. Foram realizados exames parasitológicos de fezes pelo método Mariano e Carvalho em 243 crianças, de 0 a 12 anos de idade, separadas em duas faixas etárias, com amostras biológicas analisadas em triplicata, observadas à microscopia óptica, em aumentos de 10X e 40X. Foram registrados 72% de positividade, considerando todos os parasitos, com 63 infantes positivos para Giardia lamblia. Entre estes, o grupo de 6 a 12 anos apresentou maior frequência de contaminação; e o gênero feminino revelou maior índice de infecção. Ao contrário, não foi possível fazer considerações na comparação entre gêneros na faixa de 0 a 5 anos, já que o número de infectados por G. lamblia (10 @ 15,9%) não é passível de conclusões relevantes.

Palavras-Chave: Giardia lamblia, Parasitologia, Crianças.

 

Summary

This research aimed to study the frequency of Giardia lamblia in children in southern Bahia, attended by the Parasitology Laboratory of the Santa Cruz State University. Examinations were performed by the Mariano and Carvalho method in 243 children under 12 years old, separated into two age groups, with biological samples analyzed in triplicate, observed by optical microscopy, in 10X and 40X. It was reported 72% positive for all parasites, with 63 children positive for G. lamblia, among these, the group of 6 to 12 years had the highest frequency of contamination, and the females showed a higher infection rate. Unlike it wasn’t possible to make assumptions among the genders in the age 0 to 5 years, since the number of people infected by G. lamblia (10 @ 15.9%) doesn’t allow relevant conclusions.

Key Words: Giardia lamblia, Parasitology, Children.

 

Endereço para correspondência

Sílvia Maria Santos Carvalho

e-mail: sissa@uesc.br

Ana Paula Melo Mariano

e-mail: apm.mariano@hotmail.com

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)