Edição 199- Soroprevalência de Anti-HCV em Caminhoneiros da Região Central do Rio Grande do Sul

Paula, M. C.

Sesti, L. F. C.

 

Resumo

A hepatite C é um grave problema de saúde pública, sendo uma das mais importantes doenças infecciosas. Estima-se que 170 milhões de pessoas estejam infectadas pelo vírus no mundo. A sua transmissão ocorre por via sexual, parenteral e vertical. Existem poucas informações sobre o HCV em caminhoneiros, uma população que realiza grandes deslocamentos. Em função disso, podem agir como disseminadores do vírus ao se deslocarem por regiões endêmicas. Foram avaliados os fatores de risco e a soroprevalência de anti-HCV, pelo método de ELISA, em 91 caminhoneiros oriundos de postos de combustíveis da região central do Rio Grande do Sul. Foi observado que 1,1% dos caminhoneiros apresentaram positividade para o anti-HCV, do total, 84,5% não faziam o uso de preservativos, 87,8% relataram ter parceiras fixas e 6,6% já haviam realizado transfusão sanguínea. Existem divergências entre os autores ao relacionar a hepatite C, como uma DST. Os resultados indicam que os caminhoneiros podem ser uma população de alto risco, já que a prevalência de HCV encontrada é superior aos dados da região Sul, porém estão entre a média nacional brasileira. São necessárias campanhas voltadas à prevenção na população, já que os dados colhidos indicam a falta de uso de preservativos nas relações sexuais.

Palavras-Chave: Hepatite C, Doenças Sexualmente Transmissíveis, Saúde do Viajante.

 

Summary

Hepatitis C is a serious public health problem being one of the most important infectious diseases. An estimated 170 million people are infected with the virus worldwide. Its transmission occurs through sexual, parenteral and vertical way. There is little information about HCV among truck drivers, a population that can act as disseminators of the virus to travel through endemic regions. We evaluated the risk factors and seroprevalence of anti-HCV by ELISA in 91 truck drivers come from gas stations in the central region of Rio Grande do Sul. Was observed that 1.1% of truck drivers were positive for anti-HCV, of the total, 84.5% were not using condoms, 87.8% reported having one sexual partner and 6.6% had performed a blood transfusion. There are differences between the authors relate to hepatitis C as an STD. The results indicate that the truck drivers can be a high risk population, since the prevalence of HCV is higher than that found in the southern region, but are in the Brazilian average. Targeted campaigns are necessary to prevent the population since the data collected indicate lack of condom use during sexual intercourse.

Key Words: Hepatitis C, Sexually Transmitted Diseases, Travelers’ Health.

 

Endereço para correspondência:

Profº Luís Fernando Castagnino Sesti

e-mail: biomedicinacds@ulbra.br

 

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)