Edição 194- Avaliação da Transmissão Vertical do Vírus HIV na Cidade de Cascavel/PR e Região

 

 

Tschurtschenthaler, N. N.

Silva, S. da

 

Resumo

A transmissão vertical do HIV ocorre por meio da passagem do vírus da mãe para o bebê durante a gestação, no parto propriamente dito ou na amamentação, sendo que 35% dessa transmissão ocorre durante a gestação, 65% no peri-parto e há um risco acrescido de transmissão por meio da amamentação entre 7% a 22% por exposição (mamada). Com uma prevalência de 0,41% de infecção pelo HIV em gestantes estima-se que 12.456 recém-nascidos sejam expostos ao HIV por ano. A transmissão vertical de HIV, quando não são realizadas intervenções de profilaxia, ocorre em cerca de 25% das gestações de mulheres infectadas. Em estudo multicêntrico conduzido pela Sociedade Brasileira de Pediatria, a taxa estimada de transmissão vertical de HIV no Brasil, em 2004, era de 8,5% variando entre 13% na região Norte e 3,5% na região Centro-Oeste. Incentivar ao tratamento, estabelecer quantas crianças realizaram sorologias para HIV entre 2005 a 2008. Este trabalho teve por objetivo determinar quantas crianças expostas ao HIV são soropositivas e quantas soroconverteram para uma sorologia negativa durante o acompanhamento até os 18 meses de vida, na cidade de Cascavel e região. Medidas profiláxicas como administração de AZT durante a gestação bem como seu uso no parto e ao recém-nascido reduzem a taxa de transmissão vertical para 8,3% (Protocolo ACTG076). A literatura mostra uma redução dessa taxa para 1 a 2% com aplicação de todas as intervenções preconizadas pelo Programa nacional de DST e Aids. Para chegar a esses dados, foi realizada uma pesquisa de dados arquivados seguindo os critérios das Portarias Ministeriais (Portaria 059/2003) de um período de 2005 a 2008. Foram atendidas 52 crianças no período estudado e realizadas 81sorologias utilizando-se as metodologias de MEIA, QUIMIOLUMINESCÊNCIA (ABBOTT), ELFA (BIOMÉRIEUX), IFI (BIOMANGUINHOS) e WESTERN BLOT (BIO-RAD), sendo que 13 crianças realizaram 2 exames sorológicos e 1 criança realizou 3 exames sorológicos. Dentre essas, 22 crianças tiveram resultados positivos (42,3%) e 30 crianças tiveram resultados negativos (57,7%). Isso mostra que uma porcentagem razoável das crianças que tiveram os resultados de seus exames analisados não realizaram o tratamento adequadamente ou não responderam a ele, e ainda para afirmarmos que realmente soroconverteram para positividade seria necessário avaliarmos os resultados de carga viral.

Palavras-Chave: HIV, Transmissão Vertical.

 

Summary

The vertical transmission of HIV occurs through the passage of the virus from mother to baby during pregnancy, at birth or during breast-feeding itself, with 35% of transmission occurs during pregnancy, 65% in the peri-partum and there is a heightened risk of transmission through breastfeeding from 7% to 22% by exposure (breastfeeding). With a prevalence of 0.41% of HIV infection in pregnant women it is estimated that 12,456 infants are exposed to HIV per year. The vertical transmission of HIV, when interventions are not held for prophylaxis, occurs in about 25% of pregnancies of women infected. In a multicenter study conducted by the Brazilian Society of Pediatrics, the estimated rate of vertical transmission of HIV in Brazil in 2004 was 8.5% ranging from 13% in the north and 3.5% in the mid-west. Encourage the processing, to establish how many children underwent serology for HIV between 2005 to 2008. This study aimed to determine how many children are exposed to HIV seropositive and how many soroconverteram to a seronegative during follow-up until 18 months of life in the city of rattlesnake and region. Preventive measures such as administration of AZT during pregnancy and childbirth and his use in the newly - born, reduces the rate of vertical transmission to 8.3% (ACTG076 Protocol). The literature shows a reduction of that rate for 1st 2% with implementation of all interventions recommended by the National Program of STD and Aids. To get to this data was performed a search of archived data using the criteria of the Ministerial Ordinances (Ordinance 059/2003) for a period from 2005 to 2008. 52 children were treated during the study period and held Serology using 81 - HALF of the methodologies, QUIMIOLUMINESCÊNCIA (Abbott), ELFA (bio-Mérieux), IFI (BIOMANGUINHOS) and Western Blot (Bio-Rad) while 13 children underwent 2 serological and a child held 3 serological tests. Among these, 22 children had positive results (42.3%) and 30 children had negative results (57.7%). This shows that a reasonable percentage of children who have had the results of their exams did not perform the treatment properly or did not respond to it, and to say that really positive would be required to assess the results of viral load.

Key Words: HIV, Vertical Transmission.

 

Endereço para correspondência:

Nely Norder Tschurtschenthaler

e-mail:nelytschuk@gmail.com

 

(Veja esse artigo na íntegra na revista LAES&HAES)